Visualizando posts na categoria 'Teatro'

agenda | maio 2017

ITAÚ CULTURAL | SÃO PAULO/ SP
dia 23 as 20h00
espetáculo FICÇÃO #THIAGO AMARAL
Local: teatro do Itaú Cultural
Av. Paulista, 149 – Bela Vista
Gratuito

 

SESC ITAQUERA | SÃO PAULO/ SP
dia 27 as 15h00
espetáculo AMADORES
Local: Praça de Eventos
Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1000 – Itaquera
Gratuito (não precisa retirar ingresso, só chegar!)

https://www.sescsp.org.br/programacao/121419_AMADORES#/content=saiba-mais

 

 

 

por em 11/05/2017 – 10:57h

agenda | abril 2017

 

FESTIVAL DE CURITIBA | CURITIBA /PR
dia 01 as 21h00
dia 02 as 15h00
espetáculo AMADORES
Local: Teatro da Reitoria
Rua XV de Novembro, 1299 Centro – Curitiba

http://festivaldecuritiba.com.br/evento/amadores-313/

 

SESI SÃO JOSÉ DOS CAMPOS | SÃO JOSÉ DOS CAMPOS /SP
dias 21 e 22 de abril
espetáculo AMADORES
Local: SESI São José dos Campos
Av. Cidade Jardim, 4389 – Bosque dos Eucaliptos – São José dos Campos
entrada gratuita

 

SESI SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SÃO JOSÉ DO RIO PRETO /SP
dias 28 e 29 de abril
espetáculo AMADORES
Local: SESI São José do Rio Preto
Av. Duque de Caxias, 4656 – Vila Elvira, São José do Rio Preto
entrada gratuita

 

 

 

por em 27/03/2017 – 13:17h

oficina | teatro: experimentos criativos

 

Reunindo procedimentos ao longo de uma trajetória de 10 anos de estudos e pesquisas sobre o fazer teatral e sobre a “diferença”, Outros Olhares é uma oficina de teatro da Cia Hiato voltada para jovens entre 13 e 25 anos.
Inscrições até 31/03!!
de 05/4 a 30/6  quartas e sextas
das 14h às 17h
Grátis
local: Sesc Itaquera
mais informações:
https://www.sescsp.org.br/programacao/115576_INSCRICOES+PARA+O+PROGRAMA+JUVENTUDES

por em 14/03/2017 – 19:12h

agenda | março 2017

SESI ITAPETININGA | ITAPETININGA/SP
-dias 03 e 04 de março
espetáculo AMADORES
Local: SESI Itapetininga
Av. Padre Antônio Brunetti, 1360 – Vila Rio Branco
entrada gratuita

TEATRO ADEMIR ROSA |  FLORIANÓPOLIS/ SC
-dias 07 e 08 de março
espetáculo O JARDIM
Local: Teatro Ademir Rosa
Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica
entrada gratuita

SESC ARSENAL|  CUIABÁ/ MT
-dias 011 e 12 de março
espetáculo O JARDIM
Local: Sesc Arsenal
Rua 13 de Junho, S/N – Centro Sul, Cuiabá
entrada gratuita

SESC ARARAQUARA | ARARAQUARA/SP
-dia 18 de março
espetáculo AMADORES
Local: SESC ARARAQUARA
Rua  Castro Alves, 1315 – Quitandinha, Araraquara
Venda de ingresso pelo Portal Sesc

SESI CAMPINAS | CAMPINAS/SP
-dias 24 e 25 de março
espetáculo AMADORES
Local: SESI Campinas
Av. Ary Rodriguez, 200 – Parque das Camelias, Campinas
entrada gratuita

 

 

 

por em 03/02/2017 – 17:59h

 agenda | fevereiro 2017

FEVERESTIVAL | CAMPINAS/SP
-dia 12 de fevereiro
espetáculo AMADORES
Local: Teatro Castro Mendes
Rua Conselheiro Gomide, 62 – Vila Industrial

SESC SANTOS | SANTOS/SP
-dias 17 e 18 de fevereiro
espetáculo AMADORES
Rua Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida
Venda pelo portal SESC: http://www.sescsp.org.br/programacao/114781_AMADORES

 

 

 

por em 03/02/2017 – 17:44h

HOJE | SESC CONSOLAÇÃO
Uma criação da Cia.  Hiato
(a partir de “Hoje é meu aniversário”, de Tadeusz Kantor.)

A Cia. Hiato volta a falar sobre memória e criação artística, desta vez como uma resposta cênica a esse fragmento dos cadernos de ensaio de Kantor e à sua última obra teatral “Hoje é meu aniversário”.  Um desfile de memórias que se transforma em uma celebração cênica.

5, 6 e 7 de novembro
quinta e sexta: 21h
sábado: 17h

Palco do Espaço Expositivo, 2º andar
60 minutos
Classificação etária: 16 anos

Sesc Consolação
Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque

http://www.sescsp.org.br/programacao/74847_HOJE

por em 01/11/2015 – 14:49h

oficina + espetáculo ficção  | sesc são caetano / SP

 

 

 

Projeto Teatro em três tempos
Projeto visa aproximação do espectador ao universo da obra através de três atividades. Realização de oficina ou palestra conjugada de apresentação teatral e bate-papo

 

ESPETÁCULO FICÇÃO

dia: 26 de setembro (sábado)
Horário 19:00
Local: Teatro Santos Dumont  /  Av. goiás 1111

-# Ficção Paula Picarelli
-# Ficção Maria Amélia Farah
-# Ficção Aline Filócomo
Obs. 03 monólogos de 60 minutos cada

*Bate papo após o espetáculo

 

 

Oficina:
Intimidade, documento e pensamento dramatúrgico

As três atrizes convidadas para encenar o Ficção no Teatro Santos Dumont irão ministrar uma oficina de 6 horas dedicada aos alunos da Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Esta atividade abordará o processo de construção deste espetáculo, de composição dos monólogos, e também a linha de pesquisa teatral que a Cia Hiato se dedica.

Dias 26/09 (10h) e 28/09 (19h)
Grátis

*Inscrições antecipadas na Central de Atendimento.
FASCS – Fundação das Artes de São Caetano: Rua Visconde de Inhaúma, 730

 

 

 

por em 16/09/2015 – 22:48h

 TEMPORADA SÃO PAULO – TUSP (JULHO E AGOSTO/2015) O JARDIM | FICÇÃO | 02 FICÇÕES

ESPETÁCULO O JARDIM
de 03 a 26 de julho de quinta a domingo (estreia sexta)
Horários: quinta a sábado as 21h e domingo as 19h

*Bate papo dia 19 de julho – (domingo)  após o espetáculo

 

ESPETÁCULO FICÇÃO
dias: 29, 30 e 31 de julho e de 05 a 21 de agosto  de quarta a sexta
Horário 20:30
-Quartas: # Ficção Luciana Paes e # Ficção Paula Picarelli
-Quintas: # Ficção Maria Amélia Farah e # Ficção Thiago Amaral
-Sextas: # Ficção Aline Filócomo e # Ficção Fernanda Stefanski
Obs. 02 monólogos de 60 minutos por dia

*Bate papo dias 5, 6 e 07 de agosto (quarta, quinta e sexta) após o espetáculo

 

ESPETÁCULO 02 FICÇÕES
de 1 a 24 de agosto, de sábado a segunda
Horário: sábado e segunda as 20:30 e domingo as 19:00

*Bate papo  dia 09 de agosto  (domingo) após o espetáculo

 

 

 

 

 

por em 10/06/2015 – 18:26h

O JARDIM | FICÇÃO NO 10° FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO  (POA)

 

Espetáculo Ficção
dia 12 de maio / 19h00
ficção #maria amélia [bethovem] farah | ficção – cia hiato
ficção #thiago [campos] do amaral | ficção – cia hiato

dia 13 de maio / 18h30
ficção #luciana [paes] de barros | ficção – cia hiato
ficção #aline [moreira] filócomo | ficção – cia hiato
ficção #fernanda [stefanski] bernardes | ficção – cia hiato

Local: Teatro Sesc Centro
Av. Alberto Bins, 665 – Centro – (51) 3284.2071

 

Espetáculo O Jardim
dias 14 e 15 de maio/ 21h00

Local: Teatro Renascença
Av. Erico Verissimo, 307 – Menino Deus – (51) 3289.8066

 

Site do Festival:

http://www.sesc-rs.com.br/palcogiratorio/index.php

por em 03/05/2015 – 19:11h

O JARDIM | FICÇÃO EM FRANKFURT

 

 

 

O Jardim / dias 20 e 21 de maio / 19h30
LAB
Schmidtstrasse 12, 60326 Frankfurt / Main

http://www.mousonturm.de/web/en/veranstaltung/o-jardim

 

Ficção / dia 23 de maio / 18h00
MOUSONTURM SAAL
Waldschmidtstr. 4, 60316 Frankfurt am Main

http://www.mousonturm.de/web/en/veranstaltung/ficcao

por em 03/05/2015 – 18:49h

O JARDIM EM VIENA 

 

Dias 27, 28, 29 e 30 de maio
Horário as 20h30

Local: Halle G im MuseumsQuartier
Museumsplatz 1, 1070 Wien
Österreich

 

Site do festival:

http://www.festwochen.at/en/programdetails/o-jardim/

 

 

 

por em 03/05/2015 – 18:22h

O JARDIM / NOVA YORK

 

 

FESTIVAL UNDER THE RADAR (UTR)

http://www.publictheater.org/Tickets/Calendar/PlayDetailsCollection/UTR-2015/O-Jardim/

por em 11/11/2014 – 21:55h

O JARDIM (Ο κήπος) / GRÉCIA 2014

 

 

 

Onassis Cultural Center – Festival Latin America Contemporary Art Festival of the Independent Latin America Scene

 

http://www.sgt.gr/en/programme/event/1824

 

por em 11/11/2014 – 21:43h

Cia Hiato apresenta peça Cachorro Morto em Porto Alegre

Texto: Michele Rolim

Cercada de expectativas, a Cia Hiato desembarca em solo gaúcho. Diversas vezes premiado, o grupo paulistano foi o destaque da reta final do Festival de Teatro de Curitiba deste ano com a peça Ficção, composta de cinco monólogos. Dentro da programação do Palco Giratório, a Cia Hiato apresenta em Porto Alegre o seu primeiro trabalho – criado em 2008 – , que projetou o nome de Leonardo Moreira como um dos novos autores de destaque na cena paulista. Cachorro morto tem sessões hoje e amanhã, às 20h, no Teatro Museu do Trabalho (Andradas, 230).

A peça aborda o pensamento de um jovem portador da síndrome de Asperger (uma forma leve do autismo), intrigado com o assassinato do cachorro da vizinha. Com o revezamento de cinco atores na pele do protagonista – Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Aline Filócomo, Fabrício Licursi e Thiago Amaral -, a plateia se vê diante de um jogo que desafia o espectador a construir a imagem do personagem.

Livremente inspirado nos textos The curious incident of the dog in the night-time, de Mark Had-don, Nascido num dia azul, de Daniell Tammet, e A música dos números primos, de Marcus du Sautoy, a montagem também parte de uma história pessoal do diretor Leonardo Moreira. Na infância, Moreira era, conforme ele, “bem estranho”. “Fiz um teste agora e percebi que, se a minha mãe tivesse feito um exame na minha infância, talvez eu fosse considerado um Asperger”, conta ele. Juntamente com o elenco, Moreira conversou com jovens e crianças atendidos pela Associação de Amigos do Autista (Ama) como preparação para o espetáculo. O cenário, por exemplo, é coberto de post-its – autistas utilizam sistema parecido nas paredes para organizar sua rotina.

Para o autor, a montagem tornou-se o embrião de tudo que o grupo realizaria nos espetáculos seguintes. “Cachorro é uma experiência que mistura o lado pessoal e literatura. Em Escuro, comecei a usar a experiência dos atores por trás de uma ficção, enquanto em Jardim utilizamos a biografia dos atores falada por outros integrantes do elenco. E em Ficção tentamos colocar em cena um grau mínimo de ficção para criar outra ficção”, explica o diretor, referindo-se aos espetáculos seguintes do grupo.

Todas essas montagens citadas pelo diretor trazem personagens com nomes dos próprios atores. Segundo Moreira, esta é uma forma de compartilhar com o público que, apesar de existir uma mediação da ficção no palco, há um momento presente – a realidade, que pode ser interrompida a qualquer instante. “O ator estar em cena e ser chamado pelo nome mostra que não estamos tentando ‘enganar’ o público dizendo que somos outra pessoa. Na verdade, o ator é o mediador desta ficção, e isso o coloca como criador e responsável pelo o que diz”, ressalta Moreira.

Seguindo a lógica do diretor, há um envolvimento do público com a trajetória da personagem e com o drama familiar, além da estrutura do espetáculo, da multiplicação dos personagens pelos cinco atores e do humor dos diálogos. “O interessante é que não fizemos uma cópia do comportamento dos autistas, isso seria apontar a diferença. Perguntamo-nos: qual o comportamento autista de cada um e como lidamos com isso?”, explica Moreira.

A temática das diferenças presente nas montagens do grupo está até mesmo no nome da companhia: Hiato. Para o diretor, a função de uma narrativa deve servir para mostrar que existe mais de um ponto de vista na mesma história. “Temos sempre tendência de achar que o meu ponto de vista é a realidade, e eu não consigo entender que a outra pessoa é tão real e complexa quanto eu sou”, diz Moreira, explicando que existe um hiato do que é falado agora e do que está sendo ouvido. “Há sempre uma lacuna entre essas realidades e fazer elas conviverem é o objetivo principal”, completa.

Cachorro morto da Cia Hiato
• Hoje e amanhã, às 20h, no Teatro Museu do Trabalho (Andradas, 230).
• Ingressos entre R$ 5,00 e R$ 20,00, à venda no Teatro do Sesc (Alberto Bins, 665).

por em 16/05/2013 – 2:27h

“Ficção” foi um dos destaques no encerramento do Festival de Curitiba (Correio do Povo, Porto Alegre – RS)

Cia. Hiato emociona ao questionar o limite entre ficção e realidade 

 

Solo de Maria Amélia Farah

Crédito: Ernesto Vasconcelos / Divulgação

Quem foi ao Teatro Paiol no último final de semana teve um presente, ao assistir a última produção da Cia. Hiato, de São Paulo, em estreia nacional no Festival de Teatro de Curitiba 2013, no encerramento do evento. Com direção de Leonardo Moreira, “Ficção” parte de relatos biográficos de cada um dos cinco atores, invertendo a lógica do profissional que abre mão de si para ser visto como ‘hospedeiro’ de seus personagens. Cada um dos cinco intérpretes aborda momentos de conflito com seus familiares e questiona o processo criativo, em performances extremamente delicadas e arrebatadoras, com momentos hilários e forte carga dramática, sem cair na pieguice.

O grupo apresentará a peça, com alternância de atores, paralelamente no Rio de Janeiro (Caixa Cultural) de 11 de abril a 5 de maio, e em São Paulo (Teatro ECUM), de 12 de abril a 12 de maio. Em maio chegará a Porto Alegre, com “Cachorro Morto”, em que falará sobre os autistas portadores da Síndrome de Asperger, dentro da programação do Palco Giratório Sesc.

Os espetáculos criados pelo grupo nascem de questionamentos muito pessoais, especialmente sobre o que é ser normal ou especial. Isto se evidencia no primeiro trabalho, “Cachorro Morto”; em “Escuro”, que tematiza a cegueira, desorganização da fala e perda auditiva; e “Jardim”, sobre o Mal de Alzheimer.

Neste caso, o diretor incitou os atores a causarem desconforto na plateia, expondo suas feridas, em relatos que trazem a interseção das dramaturgias de conteúdo e corporais. “O desafio é encontrar fissura onde por um segundo o espectador não enxergasse o personagem, e sim o ator”, diz Fernanda Stefanski, que tematiza o suicídio de seu tio e reflete acerca dos limites éticos de expor um drama familiar.

A atriz que sempre quis interpretar Shakespare e que deu tons hitchockianos a sua performance, utiliza fotos e reconstituições, citando passagens dolorosas de sua vida, como a agressão sofrida por parte de um ex-namorado e a morte da melhor amiga. Com forte veia cômica, Luciana Paes diz que “brinca como fazer artístico, de encarnar um ser a serviço de histórias”, ao por em xeque a autoria em um processo colaborativo. A atriz coloca em cena seu projeto relacionado à pintora Frida Kahlo, que não chegou a ser concluído e contextualiza sua realidade, ao falar do pai ausente e depressivo, com quem não mantém uma boa relação.

Aline Filácomo foca suas várias personas, reais ou não, na sua irmã mais nova, também atriz, com quem tinha um relacionamento controverso. A homenagem que intencionava fazer, acabou virando um insulto, pela percepção da outra. Maria Amélia Farah coloca no palco o próprio filho, bebe, falando que “vive vidas tão reais quanto as que inventou”, ao tentar agradar a mãe e seguir a tradição árabe, de seus antepassados. E posteriormente, ao tentar criar uma identidade própria, experimentou a cobrança, o fracasso e a decepção.

Já Thiago Amaral se veste de coelho para a ficção “A extinção dos coelhos selvagens”, criada por seu pai – não ator – com quem contracena. Isto para se reportar à ruptura, que os afastou por seis anos. Como ele não correspondia às expectativas paternas, resolveu trazê-lo ao seu projeto de vida, num pretexto para retomar os laços. Sua interpretação, ao lado de Luciana, causou grande comoção, sendo aplaudida longamente, no domingo, quando as pessoas se despediam do festival, que segue de 10 a 28 deste mês com as atrações infantis do Guritiba.

 

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/?Noticia=496078

 

por em 09/04/2013 – 21:35h

“Ficção” no encerramento da Mostra Oficial do Festival de Curitiba

por em 07/04/2013 – 21:46h

“Ficção” faz catarse pessoal e transferível (Gazeta do Povo, Curitiba -PR)

Peça da Cia. Hiato abre inúmeras possibilidades de conexão com espectador ao misturar imaginação e realidade.

Foi arrebatadora a estreia de “Ficção” no Festival de Teatro de Curitiba, na noite deste sábado (6). Neste domingo (7), às 17 horas, haverá reprise no Teatro do Paiol.

Misturadas à sensação de surpresa por parte de muitos que não se prepararam para as mais de cinco horas de peça havia as lágrimas, fruto da catarse pessoal (dos atores) e transferível (para o público).

O projeto da paulistana Cia. Hiato exigia que cada integrante do elenco criasse um monólogo partindo de questões pessoais e, como é o mote do grupo, borrando as fronteiras entre realidade e ficção.

E assim, na ordem apresentada neste sábado, ouviu-se sobre a pressão de uma mãe muçulmana para que a filha dançasse; a identificação com Frida Kahlo e a dificuldade de amar; a insegurança como atriz e a relação com a irmã; um crime em família e a relação com o pai.Em todos, o início simulou uma conversa, embrenhando depois para a contação de história. Impossível, para o público, não questionar o tempo todo: isso será verdade?

O processamento da catarse seria impossível de descrever aqui e acontece de forma diferente, em momentos diferentes, para cada espectador.O que é possível garantir é que cada ator e atriz dá o sangue no palco de forma tocante, e que o projeto “Ficção” provavelmente está atingindo e superando suas intenções a cada apresentação.

Ao longo das falas, citações das peças anteriores da companha, como “Cachorro Morto” e “O Jardim” – destacada como a melhor da Mostra 2012 do festival.

por em 07/04/2013 – 14:36h

“Ficção” no Festival de Teatro de Curitiba / coletiva de imprensa

parte dos integrantes da cia hiato em coletiva de imprensa. curitiba.

por em 05/04/2013 – 23:24h

ficção | cia hiato

ficção | cia hiato from Leo Moreira on Vimeo.

por em 28/03/2013 – 19:29h

ficção # paula picarelli [ribeiro porto]

ficção #6 paula picarelli [ribeiro porto] | ficção - cia hiato from Leo Moreira on Vimeo.

por em 28/03/2013 – 19:21h